NDE/Curso


Papel do Núcleo Docente Estruturante (NDE) na Curricularização da Extensão (em construção)

 

Os NDEs, em articulação e diálogo com o Colegiado de Curso, serão os responsáveis pela elaboração/reformulação dos Projetos Pedagógicos de Curso (PPC), devendo incluir as ACEX na matriz curricular, considerando os seguintes critérios: 

I- Atividades de extensão que se caracterizem por intervenções junto às comunidades externas à UNIR e nas quais ocorra o protagonismo discente, de forma a contribuir para a sua formação;

II- Articulação entre as atividades de extensão e as atividades de ensino e pesquisa;

III- Cumprimento de no mínimo de 10% (dez por cento) do total da carga horária do curso, não implicando no aumento da carga horária total;

IV- Participação de docentes responsáveis pela coordenação, supervisão, orientação e acompanhamento das atividades;

V- Avaliação, aceite e registro da ACEX no SIGAA;

VI- Autoavaliação contínua das atividades de extensão, que devem focar:

a) no aperfeiçoamento de suas diretrizes;

b) na contribuição dessas ações para o cumprimento dos objetivos do PPC;

c) na demonstração dos resultados alcançados.          

VII - Identificar o melhor período/semestre onde será inserido a ACEX no PPC; 

VIII - Apontar qual (is) componente(s) pode(m) vivenciar ações de extensão, de forma que possibilite identificar a indissociabilidade com o ensino e a pesquisa; 

IX - Definir as áreas de formação prioritárias do Curso, em consonância com as áreas prioritárias da instituição e da sociedade;

X - Descrever como os discentes cumprirão todos os componentes do currrículo; 

XI - Apresentar o escopo das ações de extensão que serão aceitas para curricularização; 

XII - Elucidar de forma clara como será feita a diferenciação entre a ACEX e as atividades complementares ACC;

XIII - Relatar como a extensão alcançará diretamente a comunidade externa, e apontar quais os impactos esperados/atingidos;

IVX - Explicar como a extensão contribuirá na formação dos discentes do Curso;

XV - Expor como a extensão pode contribuir para elevar o desempenho acadêmico e diminuir a evasão escolar;

XVI - Narrar com o curso cumprirá ao preceito da indissociabilidade entre ensino e pesquisa e extensão; e

XVII - Apresentar as estratégias que o Curso adotará para incentivar a participação dos discentes de diferentes cursos de graduação da UNIR promovendo a interdisciplinaridade e a interprofissionalidade. 

 

O Papel dos Cursos de Graduação na Curricularização da Extensão

 

Todos os Cursos de Graduação da UNIR, em articulação e diálogo com seus respectivos NDEs, deverão disponibilizar atividades de extensão suficientes, de forma que possibilitem ao discente cumprir o mínimo de 10% (dez por cento) da carga horária do Curso. Para tanto, as atividades de extensão deverão ser organizadas e oferecidas semestralmente, oportunizando ao discente completar a carga horária exigida. Assim, a PROCEA apresenta um esquema para ajudar os Cursos refletirem sobre como elaborar um programa de extensão

 

Recomendações da PROCEA para criação de programas de extensão estruturados

A sistematização das ações de extensão em programas constitui-se em uma das melhores soluções para o cumprimento das diretrizes de impacto, interação social dialógica e construção de parcerias, interdisciplinaridade e integração entre ensino, pesquisa e extensão.

Passo 1: Identificar os projetos de pesquisa, extensão e outros componentes de ensino que atuam em uma mesma Linha de Extensão.

Passo 2: Após a identificação dos projetos e componentes, é necessário aproximar os atores (docentes), setores e até as instituições – incluindo equipes, departamentos e unidades acadêmicas, e promover uma articulação e integração dos mesmos, sob a forma de reuniões de trabalho ou seminários temáticos, para estabelecer mecanismos de governança e de gestão.

Passo 3: Após as reuniões, o curso deverá definir as linhas consideradas prioritárias para o curso, a sociedade ou pela demanda de políticas públicas,

Passo 4: Com a definição das prioridades do curso, em consonância com as prioridades institucionais, o curso elaborará um ou mais programa(s) estruturado(s) com as novas e antigas ações de extensão de acordo com as Áreas temáticas e as Linha de Extensão.

Passo 5: O(s) programa(s) devem ser estruturado(s), conforme indicados na Figura 1, por seus projetos, que oferecerão outras ações de extensão relacionadas à Linha e área temática de Extensão que atenderá o programa, a exemplo de como cursos, eventos, produtos e prestação de serviços.

                                                          

 ESQUEMA PROGRAMA

Exemplo de um Programa de Extensão Estruturado

No exemplo da Figura 2, apresenta-se um programa estruturado para o curso na área da Saúde:

- Linha de Extensão Prioritária:  Terceira Idade.

- Programa Estruturado: Universidade da Terceira Idade.

- Duas Áreas Temáticas: Direitos Humanos e Saúde.

- Três Projetos de Extensão:  Contando Contos - Envelhecer com Segurança e Cultura e Saberes e Fazeres.

- Dois Cursos Articulados com os três projetos: Preparação de Cuidadores de Idosos e Psicologia da Terceira Idade.

- Um Evento articulado:  Dia do Idoso.

- Produto produzido pelos projetos: Cartilha de Expressão Corporal.

- Prestação de Serviço: Organização e Gestão sobre a Terceira Idade .

 

 PROGRAMA

 

Obs.: A sugestão deste esquema visa organizar e padronizar programas estruturados de extensão na UNIR, e assim demonstrar para sociedade e órgãos avaliadores, a indissociabilidade e o impacto da extensão na formação cidadã e na vida acadêmica dos discentes, e além disso, os cursos e a propria instituição poderão buscar fomentos futuros para Extensão Universitária.     

 

Legislação sobre a Extensão e leituras importantes para o entendimento da curricularização da extensão 

RESOLUÇÃO Nº 7, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2018 (Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira)

Parecer CNE/CES N° 608/2018 - Parecer que embasou a Resolução n° 07

Resolução 349/CONSUN/2021 - Regulamenta a curricularização das atividades de extensão nos cursos de graduação

Instrunção Normativa - Instrui os procedimentos para regulamentar a operacionalização das Atividades Curriculares de Extensão (ACEX) nos cursos de graduação 

Livro Extensão Universitária: Organização e Sistematização - CORRÊA, Edson José; FORPROEX. Extensão universitária: organização e sistematização. Belo Horizonte: Coopmed, 2007.

Extensão Universitária: Para quê? - GADOTTI, Moacir. Extensão universitária: para quê. Instituto Paulo Freire, v. 15, 2017.